diamundialola

Dia Mundial do Olá

Sabia que…. a 21 de novembro se celebra o Dia Mundial do Olá?

A forma mais natural de saudar alguém é celebrada hoje.

E primeiro ligar, o Dia Mundial do Olá foi estabelecido há mais de 40 anos para reafirmar a importância de resolver conflitos comunicando e não através do uso da força. Políticos, líderes religiosos e vencedores do Nobel da Paz são alguns dos maiores promotores deste dia.

O “olá” é uma palavra muito simples que muitas vezes faz toda a diferença no contacto entre pessoas desconhecidas, para quebrar o gelo ou o silêncio numa sala. O objetivo deste dia é dizer “olá” a 10 pessoas diferentes, promovendo o contacto entre as pessoas e a paz.

Por fim, fique a conhecer as várias formas de cumprimentar, tanto em linguagem verbal, exprimindo um simples “olá” ou em linguagem não verbal, sabendo como saudar as pessoas de cada cultura.

  • Olá. Portugal: tal como a maioria dos países europeus é comum dar um beijo em cada face quando se cumprimenta alguém.
  • Szia (Si-ha). Hungria: tanto homens como mulheres cumprimentam-se apertando as mãos, embora um homem deve geralmente esperar que as mulheres estendam a mão. Apertos de mão e conservação do contato visual são considerados como parte da etiqueta normal uma vez que olhar para longe ou para baixo pode ser interpretado como indiferença ou tédio. A geração mais velha ainda pode usar a vénia à mulher. No caso de amigos próximos são usados dois beijos, começando com a bochecha esquerda.
  • привіт (prê-vit). Ucrânia: uma saudação típica envolve três beijos. Comece na bochecha esquerda, em seguida a direita e termine de volta à esquerda.
  • здраво (z-dra-vo). Sérvia: são dados três beijos nas bochechas como sinal de respeito e por vezes também se abraça a outra pessoa. Este costume foi herdado dos sérvios de Montenegro e dos russos.
  • Hei (e-ei). Finlândia: ao cumprimentar, as partes apertam as mãos firme e brevemente e estabelecem contato visual. Normalmente acompanha-se o aperto de mão com um ligeiro aceno de cabeça, uma vénia maior denotará respeito especial. É comum repetir o seu nome e apelido enquanto aperta as mãos. Ao cumprimentar um casal, a esposa deve ser saudada primeiro. Os finlandeses dão grande valor às palavras, o que se reflete na tendência a dizer pouco e evitar a conversa “desnecessária”.
  • Hej! (e-ie). Dinamarca: seguindo os costumes nórdicos, os dinamarqueses cumprimentam-se com apertos de mão firmes e mantendo o contacto visual com a outra pessoa. Não se deve tratar a pessoa pelo primeiro nome salvo em casos em que se é pedido a fazer. Os beijos são tidos como algo demasiado pessoal e, por isso, relativamente ao contacto físico, os abraços são permitidos quando se trata de amigos.
  • Hello (e-lou). Reino Unido: o mais natural e para não atormentar ninguém é optar apenas por um aperto de mão.
  • Hola (oh-lah). Espanha: assim como em Portugal dão-se dois beijos, um em cada bochecha, começando pela direita. Na maioria das vezes, em vez do beijo, encosta-se apenas o rosto e faz-se o som do beijo.
  • Ciao (T-chau). Itália: mantêm-se os dois beijos, um em cada bochecha, tal como nos outros países latinos. O beijo no rosto entre homens familiares e amigos também é comum.
  • Hallo (a-lou). Alemanha: neste país o contato físico é geralmente evitado, preferindo-se o eficiente aperto de mão. Os jovens poderão dar abraços, mas não é comum como cumprimento.
  • Hej (e-je). Suécia: os suecos não têm o costume de dar beijos como cumprimento. Um aperto de mão a todos os presentes, homens, mulheres e crianças enquanto se apresenta pelo nome é suficiente.
  • Zdravstvuyte (ZDRA-stvuy-tyeh). Rússia: os russos, homens, apertam as mãos firmemente, podendo seguir-se um abraço. Também são conhecidos os beijos, especialmente nas mulheres, alternando as bochechas, três vezes.
  • Γεια σας (geia sas). Grécia: uma palmadinha nas costas ou junto aos ombros é uma das formas que os gregos têm de se saudar. Pode-se abraçar ou beijar nas duas faces, acompanhando novamente com a palmada nas costelas.
  • Cześć (che-tch-ch). Polónia: os cumprimentos são caracterizados por serem reservados mas sem perder a cortesia. Ao cumprimentar alguém, comece pelas mulheres presentes na sala e dê um bom aperto de mão, contato visual direto e termine com um sorriso. Para os polacos o reconhecimento do status e a inclusão da pessoa num determinado “circulo social” é muito importante por isso deve-se ter sempre em atenção os títulos usados e a formalidade do discurso.
  • 你好 (ni-au). China: para os chineses, quanto mais leve for o aperto de mão, melhor; não se devendo olhar a pessoa nos olhos fixamente durante o cumprimento. A tradição da vénia, em situações formais ainda é usada, mas está a ser lentamente substituída pelo mais comum aperto de mão.
  • ハロー (com-ni-tchi-ua) Japão: curvar-se é a forma mais tradicional e comum de homens, mulheres e crianças ao cumprimentarem uns aos outros, já que o aperto de mãos é uma prática europeia. O tamanho da vénia varia consoante a importância da pessoa que se está a cumprimentar: quanto maior a vénia mais influente é a pessoa. Enquanto os homens deixam as mãos ao longo do corpo, as mulheres apertam as duas mãos uma contra a outra enquanto se curvam.

Agora que já sabemos cumprimentar as pessoas em várias, línguas, vamos para a rua? Basta 10 pessoas para cumprir o objetivo!

 

ola

#multidados #research #since98 #sabiaque #diamundial #ola

VOLTAR AO BLOG